Tosar ou não tosar no Inverno?

Com a chegada do inverno, nós, que somos humanos, já fazemos cara feia na hora do banho neste tempo gelado. Mas e os cães? Será que devemos suspendê-lo nas estações mais frias? E a tosa? Há certas medidas que precisamos adotar e vamos explicá-las, além dos os cuidados que tomamos no verão, no inverno, e suas diferenças.

Banho

O banho no inverno não precisa ser tão freqüente quanto no verão, mas é importante, principalmente porque a pele e a pelagem do animal, que hospedam fungos e bactérias, ressecam e proporcionam a estes agentes a oportunidade de causar alergias e problemas mais sérios ao animal.

Roupinhas aquecem os bichinhos, mas são potenciais causadores de nós e quedas no pelo, por isso é aconselhável recorrer aos processos constantes de hidratação para preservar a saúde da pelagem. É indispensável que o local proporcione climatização adequada, água morna, toalhas higienizadas e os melhores produtos, garantindo conforto e cuidado máximos.

Tosa

Temperaturas baixas nos levam a crer que não há necessidade de tosar o animal, certo? Errado! Para enfrentar o frio a sugestão de médicos veterinários e tosadores é reduzir a quantidade de pelos retirados. Apesar de sentirmos tanto frio quanto nossos melhores amigos, eles têm uma proteção natural que é a própria pelagem, responsável pela manutenção da temperatura corporal. Mas o dilema consiste em saber se devemos tosar o animal ou deixar o pelo crescer para enfrentar o clima do meio do ano.

Mais do que estética, a tosa é uma questão de saúde. A popular “tosa higiênica” deve ser feita mesmo em temperaturas baixas, pois o corte nos pelos garante a higiene completa do pet, incluindo o aparamento das unhas e a limpeza nos ouvidos, porém não exclui a necessidade da escovação da pelagem. As tosas de verão e inverno são praticamente as mesmas, a diferença principal está no tamanho do corte. Reduzindo a quantidade de pelos removidos, o pet tem melhores condições de enfrentar o inverno.

Para os animais de pelo longo a “tosa bebê” é a mais apropriada, reduzindo a necessidade de escovações muito prolongadas e deixando-os mais protegidos do ar frio. O cão que é submetido a este procedimento passa a ter a quantidade de pelos que um filhote teria, diminuindo a possibilidade dos pelos embolarem, apesar do comprimento ser mantido à medida de um a dois dedos, ideal para poodle, lhasa, apso, shih tzu, yorkshire e maltês.

Não deixe de dar banho e tosar seu peludo porque a temperatura caiu. É importante que o animal esteja sempre bem cuidado em todas as estações!